A Tibicuera e Companhia existe há 42 anos, com um trabalho ininterrupto, voltado para todos os aspectos da ligação Educação/ Cultura / Comunicação, e, para tal, estabelecendo parcerias e relações institucionais capazes de ampliar sua abrangência e aprofundar, pela interdisciplinaridade, suas linhas de atuação. Com esses objetivos vêm realizando espetáculos teatrais, seminários, oficinas, debates, ou participando de outros com objetivos afins. Como exemplo podemos citar sua atuação permanente com o CBTIJ – Centro Brasileiro de Teatro para a Infância e Juventude, com o SESC- Serviço Social do Comércio e seus vários departamentos voltados para diferentes linhas (Educação, Saúde, Cultura, Terceira Idade, Cursos etc.), com o SESI – Serviço Social da Indústria, com idênticas iguais preocupações sócio-culturais, e com as Secretarias Estaduais e Municipais de Educação e de Cultura, muitas vezes a convite destas ou sendo selecionados em seus editais púbicos.


AS AVENTURAS DE TIBICUERA (em repertório) do Strelhau RS.Versão 1982 Direção Nestor Monastério, adaptação Ine Baumann/Ludoval Campos. Versão 1990 direção Ludoval Campos RJ. Versão 2000 Direção Nara Keiserman na comemoração dos 500 anos do Descobrimento do Brasil Rio de Janeiro.

O MACACO E A VELHA (fora de repertório) De Ivo Bender, direção Nara Keiserman, Rio Grande do Sul 1978.

O GATO MALHADO E A ANDORINHA SINHÁ… UMA HISTÓRIA DE AMOR (fora de repertório) De Jorge Amado, direção Leo Ferlauto. Rio Grande do Sul 1979.

CÉU E TERRA, ÁGUA E AR… TUDO FEDE SEM PARAR (fora de repertório) De Reriner Súcker e Stefan Reisner, adaptado por José Lutzemberger, com direção de Wolfgang Kolneder, vindo especialmente do Grip\’s Theater de Berlim, Alemanha, para esse evento. Este espetáculo criou a “promoção ecológica” para colegiais, e recebeu patrocínio de viagem pelo país, do Instituto Cultural Brasil – Alemanha, Rio Grande do Sul 1979.

OS PALHAÇOS DO CIRCO BEIJA-FLOR (fora de repertório) De Karl F. Waechter, direção de Léo Ferlauto.Rio Grande do Sul,1981.

OS ESCRAVOS DE JÓ (fora de repertório) De Carlos Carvalho, direção de Nestor Monastério. Rio Grande do Sul 1983

M’BOIGUAÇU – A LENDA DA COBRA GRANDE (em repertório) De Carlos Carvalho e direção de Julio César Saraiva Rio Grande do Sul 1980 Rio de Janeiro 1986.

RASTROS, FAROS E OUTRAS PISTAS (fora de repertório) Texto e direção de Ivanir Calado, Rio de Janeiro 1992.


UM CONTO PARA ROSA - 1997 - (fora de repertório)

Estreou em: outubro de 1997foto 15 (1) Já foi assistido por:  11.430 pessoas Apresentações: 82 Estados: SP, RJ Faixa Etária: a partir de 5 anos Duração: 55 minutos Sinopse: É um espetáculo teatral, adaptado do livro homônimo de Erico Veríssimo, que conta Falar em contos de fadas em pleno século XXI? Quando qualquer menino sabe navegar na Internet? Quando crianças passaram a conviver com problemas adultos? Sim. E tudo de forma muito simples e engraçada. A história se passa no sótão da casa dos avós de Rosa. Na primeira cena, Rosa, aos vinte e poucos anos de idade, mostra o lugar a um possível comprador. Durante a conversa fica claro o carinho da moça pelo espaço bagunçado e empoeirado do sótão. Ela passa a explicar ao comprador como gosta do local. Aí começam as lembranças. Rosa conta uma história que viveu ali, quando tinha nove anos. Seus pais estavam se separando e, sentindo-se o mais triste dos seres humanos, a menina se refugiou no sótão do avô. Lá, misteriosamente, conheceu em carne e osso algumas das figuras que povoam os livros de histórias infantis. Conversou com o Lobo Mau, brincou com os Três Porquinhos, trocou experiências com uma bruxa e até ajudou um príncipe sem iniciativa a salvar uma princesa que fora amaldiçoada. Somente no fim do espetáculo Rosa e o público descobrem o que há de verdade por trás de todos esses momentos mágicos.

Autoria: Cláudia Valli Direção: Nara Keiserman Criação e direção musical: Demétrio Nicolau Letras das músicas: Cláudia Valli Cenografia e figurino: João Gomes Fotógrafa: Silvana Marques Bonecos: Fátima Borges Máscara: Luciana Maia Criação de luz: Aurélio de Simoni Operação de luz: Bruno Cruz Stand-in e operação de som: Sergio Miguel Braga Produção Executiva: Ine Baumann Direção de Produção: Ludoval Campos Elenco: Ludoval Campos, Marcela Coelho e Otávio Reis

Luz: Mapa (material sugerido e possivel montagem de luz) Roteiro (Tabela com as deixas para entrada e saída de luz) Som: rider 1 aparelho de CD 2 microfones com ou sem fio, no palco Duas caixas de som de retorno no palco.


HISTÓRIAS PRA NÃO DORMIR (em repertório)Texto e direção de Ivanir Calado. Rio de Janeiro, 2002

UMA ODISSÉIA NO AMASSO (em repertório)Texto e direção de Claudia Valli no Projeto SESC SAÚDE sobre DSTs. Rio de Janeiro 2006


O NEURÔNIO APAIXONADO - 2006 - (fora de repertório)

Estreou em: setembro de 2006

Neuronio apaixonado cena futebol Já foi assistido por: 7.580 pessoas Apresentações: 75 Estados: RJ Faixa etária: a partir de 6 anos Duração: 55 minutos Sinopse: O NEURÔNIO APAIXONADO ou O QUE É QUE VOCÊ TEM NA CABEÇA, MENINO? é uma adaptação teatral feita por Claudia Valli a partir da coleção de livros infantis AS AVENTURAS DE UM NEURÔNIO LEMBRADOR, do neurocientista Roberto Lent. A peça propõe uma divertida viagem por dentro do cérebro de Pedro, um menino de nove anos, cujo tio é cientista. Pedro é um menino falante e cheio de perguntas, que sonha em ser cientista como o tio. A partir do momento em que “entramos” em sua cabecinha, passamos a conhecer os divertidos neurônios que a habitam e que são responsáveis por tudo que o menino pensa, sente e faz. Assim, acompanhamos Pedro jogando bola, fazendo o dever de casa, aprendendo a andar de bicicleta e até vivendo a emoção de seu primeiro amor, sempre pelo ponto de vista de seus neurônios. Um ponto de vista, sem dúvida, bastante peculiar. A peça mostra, de maneira simples e bem humorada, como os neurônios funcionam e fazem a gente funcionar. Mas também aborda a ciência como uma divertida atividade e o cientista como um profissional como qualquer outro, apenas mais curioso e não um daqueles “loucos” que vemos nos filmes.

Direção e Cenário: Ivanir Calado Adaptação: Claudia Valli Figurinos e Criação de Adereços: Luciana Maia Musica e Efeitos sonoros: Tato Taborda Animação e Programação Visual: Rico Vilarouca e Renato Vilarouca Criação de luz: Rogério Wiltgen Fotos: Guga Melgar Operação de Luz: Bruno Cruz Operação de Som e Vídeo: Larissa Câmara Produção Executiva: Sergio Miguel Braga e Ine Baumann Direção de Produção: Ludoval Campos Elenco: Cleiton Echeveste, Leticia Guimarães, Gustavo Ottoni, Marcela Coelho e Otávio Reis

Luz: mapa completo (material sugerido e possivel montagem de luz) Roteiro: (Tabela com as deixas para entrada e saída de luz) Som: rider 1 aparelho de CD 1 aparelho de DVD 1 Projetor de DVD Duas caixas de som de retorno no palco.