As Aventuras de Tibicuera

Estreou em julho de 1974 Já foi assistida por 138.247 pessoas Apresentações 935  Estados RS, SC, ES, MG, SP, RJ Faixa Etária a partir de 5 anos Duração 45 minutos Sinopse É um espetáculo teatral, adaptado do livro homônimo de Erico Veríssimo, que conta a trajetória de um homem no desenvolvimento da sua nação. Ser um Tibicuera, é estar presente em todos os fatos históricos brasileiros, é um modo de vida um modo de enfrentar o dia a dia. O primeiro Brasileiro, o índio Tibicuera, recebeu de um pajé um conselho que dizia “…os homens envelhecem porque querem. Um espírito alegre e são vence o tempo, pode iludir a morte. Tibicuera morre? Outros Tibicueras continuam: a coragem Tibicuera, a alma Tibicuera. O corpo pode ser outro, mas o espírito Tibicuera continua o mesmo.” O espetáculo mostra um Tibicuera valente das guerras, que resolve trocar a força do músculo pela força da inteligência. Estudar. Hoje este espírito esta dentro de nós. Na encenação, utilizando diversas técnicas como: Teatro de Sombras, Bonecos de Vara, Fantoches, Marionetes, Teatro de Máscaras e etc. O espetáculo desenvolve-se em pouco menos de um hora, contando de forma divertida a história do Brasil e abordando os seguintes temas: Descobrimento do Brasil, Capitanias Hereditárias, Governos Gerais, Cultura Negra, Invasões Holandesa, Inconfidência Mineira, Chegada da Família Real ao Brasil e Independência do Brasil.

Adaptação Ine Baumann e Ludoval Campos Direção: Ludoval Campos Figurinos: Ivanir Calado Cenário: Ine Baumann Máscara, fantoche e marionete: Grupo Cem Modos e Fatima Café Fotos: Paulo Rodrigues Direção de Produção: Ludoval Campos Elenco Ludoval Campos, Marcela Coelho e  Otávio Reis

Luz mapa material sugerido e possivel montagem de luz Roteiro Tabela com as deixas para entrada e saída de luz Som rider 1 aparelho de CD 1 microfone com ou sem fio, no palco. Duas caixas de som de retorno no palco.


M'Boiguaçu a Lenda da Cobra Grande

Estreou em: julho de 1980foto 15 Já foi assistido por:38.365 pessoas Apresentações: 253 Estados: RS, SC, SP, RJ, ES, MG Faixa etária: a partir de 6 anos Duração: 50 minutos Sinopse: M’BOIGUAÇU – A lenda da cobra grande – surgiu com o término das missões jesuíticas no Rio Grande do Sul. Atravessou o tempo na boca do povo dizendo que na guerra contra os invasores, os índios, comandados por um grande guerreiro Sepé Tiaraju, lutaram bravamente mas acabaram sendo vencidos. A maior parte deles foi dizimada ou feita prisioneira. Na Missão de São Miguel apenas os velhos, mulheres e crianças, que tão logo tivessem alguma serventia eram levados por estrangeiros como escravos. Por conseqüência, o mato foi crescendo e avançando, invadindo a Missão. Com o mato veio a cobra grande, que subiu as escadas da torre e se alojou na torre da igreja. Quando sentia fome, enroscada nas cordas que pendiam do alto, atirava-se a badalar…badalar. Até que uma noite, uma das índias, atentou para o mistério, era decerto a Cobra Grande com fome. E esta índia que de tanto sofrer enlouquecera, pegou seu filho nos braços e lá subiu para a torre de onde o sino chamava, e então tudo se calou. Assim neste ritual de sinos, choro e silêncio, alimentada a cobra foi inchando…inchando e acabou por explodir, levando com ela o resto da tribo. Diz a lenda, que as manchas escuras que se percebem na frente das ruínas de São Miguel,até hoje, são a gordura da cobra que escorreu pelas paredes do templo.

Adaptação: Carlos Carvalho Direção: Julio Cesar Saraiva Figurinos e bonecos da procissão: Fernando Zimpeck Criação e confecção da cobra e dos fantoches: Fátima Café Música: Ricardo Bordini Iluminação e fotos: Bruno Cruz Direção de Produção: Ludoval Campos Elenco: Ludoval Campos, Marcela Coelho e Otávio Reis

Luz: Mapa (material sugerido e possivel montagem de luz) Roteiro: Tabela com as deixas para entrada e saída de luz Som: Utilizamos um violão acústico e percussão Em teatros de boa acústica não necessitamos de som.


Os Fuxiqueiros (“Conta canto e conta história” e “Fuxicando na roça”)

 A banda “OS FUXIQUEIROS” é composta por palhaços contadores de histórias. Em seus dois shows: “Conta canto e conta história”, com repertório de canções infantis populares e sucessos de domínio público; e “Fuxicando na Roça” que mostra, a seu modo, a história do casamento na roça de Maria e de João, um verdadeiro clássico das nossas quadrilhas. Utilizando canções populares de domínio público, além de grandes nomes do forró como Gonzagão e Dominguinhos esse espetáculo é ao mesmo tempo teatro e festa, show e quadrilha.

Espetáculo: CONTA CONTO E CANTA HISTÓRIA Direção geral: As Fuxiqueiras e Ludoval Campos Direção musical: As Fuxiqueiras Iluminação: Bruno Cruz Figurinos: Luciana Fontenelle Caracterização: Marcela Coelho Fotografia: Nicole Machay Elenco/Musicistas Grase Muller: Sanfona Henrique Costa: Voz e Carron acüstico Ludoval Campos: Voz, Violão Marcela Coelho: Voz, cavaquinho e violão Produção: Ludoval Campos e Marcela Coelho Realização: Tibicuera e Companhia e Fuxico Estreia: Em 15 de março de 2015 – Sesc Campos – RJ

Em breve, mais informações.

Em breve mais informações.


Histórias para não dormir

Estreou em: 9 de junho de 2002Historias pra nao Dormir Otavio Já foi assistido por: 2.915 pessoas Apresentações: 25 Estados: RJ, SP Faixa etária: a partir de 4 anos Duração: 55 minutos Sinopse: Um casal de mendigos e um menino de rua pernoitam na porta de um velho teatro abandonado. Mas o garoto não consegue dormir, depois de passar por uma situação especialmente difícil (uma das muitas possibilidades de violência que ele vivencia no cotidiano). Está agitado e com medo. Os dois mendigos tentam de tudo para tranqüilizá-lo e fazê-lo adormecer. E a solução encontrada é contar histórias de fadas. Usando os trapos e objetos que carregam pela vida, os mendigos começam a contar as histórias como são lembradas depois de tantos anos, com as alterações que elas ganharam no Brasil e na memória dos dois velhos. Mas em vez de adormecer, o garoto fica cada vez mais empolgado, os mendigos se envolvem com as representações, e os três passam a vivenciar o sonho no lugar mais improvável: o lixo da grande cidade.

Direção, música e texto: Ivanir Calado Figurinos e Adereços: Tibicuera e Companhia Iluminação e fotos: Bruno Cruz Programação Visual: Ivanir Calado Assistência de produção: Ine Baumann Direção de produção: Ludoval Campos Produção: Tibicuera e Companhia Elenco: Ludoval Campos, Marcela Coelho e Otávio Reis

Luz: Mapa (material sugerido e possivel montagem de luz) Roteiro Tabela com as deixas para entrada e saída de luz Som: Utilizamos um violão acústico e percussão Em teatros de boa acústica não necessitamos de som.